+ Fontes de Informação

 

  • Bibliotecas do Brasil

Para acessar as bibliotecas do Brasil, clique aqui.

Para acessar as bibliotecas do mundo, clique aqui.

O SCAD é o Serviço Cooperativo de Acesso a Documentos oferecido pela Bireme para a solicitação de artigos científicos na área de saúde. Para acessar o SCAD, clique aqui.

O CCN é o Catálogo Coletivo Nacional de Publicações Seriadas é coordenado pelo IBICT, por meio do qual é possível obter informações sobre coleções de publicações seriadas em centenas de bibliotecas do país. Para acessar o CCN, clique aqui.

Programa de comutação bibliográfica coordenado pelo IBICT, que permite a obtenção de cópias de documentos técnico-científicos das principais bibliotecas brasileiras e em serviços de informação internacionais. Para acessar o COMUT, clique aqui.

Para acessar o site da Editora da UFPR, clique aqui.

A Imprensa Universitária da UFPR localiza-se no bairro Juvevê, na Rua Bom Jesus nº 650, Curitiba / PR. Telefone para contato: (41) 3313-2006. Para maiores informações, acesse o site da UFPR, clique aqui.

O International Starndard Book Number (ISBN) é um sistema internacional que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país e a editora, individualizando-s por edição. No Brasil, a Biblioteca Nacional é a responsável pelo ISBN. Para acessar o ISBN, clique aqui.

O International Starndard E-book Number (ISEN) é um sistema internacional padronizado que identifica numericamente os e-books segundo o país e o gênero, individualizando-os inclusive por edição. Utilizado também para identificar uma publicação eletrônica em forma fixa, que não pode ser alterada, seu sistema numérico elimina barreiras lingüísticas e facilita a sua circulação e comercialização. Criado em 23 de novembro de 2010 pela Hímpeto, o registro de um e-book pelo Sistema ISEN é totalmente gratuito e pode ser feito diretamente pelo autor. O fundamento do sistema é identificar um livro e sua edição. Uma vez fixada a identificação, ela só se aplica àquela obra e edição, não se repetindo jamais em outra. A versatilidade deste sistema de registro facilita a interconexão de arquivos e a recuperação e transmissão de dados em sistemas automatizados, razão pela qual é adotado internacionalmente. O ISEN simplifica a busca e a atualização bibliográfica, concorrendo para a integração cultural entre os povos. Para acessar o ISBN, clique aqui.

O Número Internacional Normalizado para publicações seriadas (ISSN) é uma numeração internacional que individualiza o título de uma publicação seriada, individualizando-o dos demais títulos. O ISSN identifica o título de uma publicação seriada em circulação, futura (pré-publicação) e encerrada, em qualquer idioma ou suporte físico utilizado (impresso, online, CD-ROM etc). No Brasil, o IBICT (Instituto Brasileiro de Ciência e Tecnologia) é o responsável pelo ISSN. Para acessar o ISSN, clique aqui.

Lei nº 9610, de 1998 regulamenta os direitos autorais no Brasil. Para acessar a Lei 9610, clique aqui. Para acessar o projeto de Lei que altera e acresce dispositivos à Lei dos Direitos Autorais, clique aqui.

O Qualis Periódicos é o conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. O Qualis representa uma lista com a qualificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação de sua produção. Para acessar a lista Qualis, clique aqui.

O Digital Object Identifier (Identificador de Objeto Digital) é um identificador de conteúdos em ambiente digital. O DOI é cedido para qualquer instituição/organização para uso em suas obras digitais. O DOI é usado para oferecer informação corrente, incluindo onde eles (objetos digitais ou informação sobre eles) podem ser encontrados na Internet. Informação sobre um objeto digital pode mudar a qualquer momento, incluindo o seu local, mas o DOI não mudará.
- Como é formado o DOI? O DOI possui dois componentes: o prefixo e o sufixo. Ex.: 10.1234/9876 (estes dois componentes apresentam-se separados por uma "/").
- Como é formado o prefixo? O Prefixo do DOI também possui dois componentes: O primeiro componente é o número "10". Todo DOI começa com este número. O segundo componente refere-se ao número que é cedido a organização que deseja ter um DOI. Uma mesma organização/instituição pode ter um único número ou números diferentes para cada periódico ou departmento da organização/instituição. O prefixo também pode ser dividido em subprefixos, como por exemplo: 10.1000.10/123456 Assim, podemos definir que o prefixo do DOI siginifica o número referente a instituição ou a um determinado periódico desta instituição.
- Como é formado o sufixo?O sufixo pode ser uma sequência numérica de caracteres escolhidos pelo Registrante ou simplesmente o número sequencial de um identificador existente. Em casos, por exemplo, de livros eletrônicos, o ISBN deste livro pode ser o sufixo do seu DOI: 10.1000/ISBN1-900512-44-0 As Agências como a CrossRef não precisam usar o mesmo mecanisco para gerar o sufixo. Os editores podem usar diferentes esquemas, colocando número com letras e outros tipos de caracteres, como no exemplo:
 doi:10.2345/S1384107697000225
/ doi:10.4567/0361-9230(1997)42:2.0.TX;2-B
/ doi:10.6789/JoesPaper56.
Cada editor pode manter seu próprio esquema e não necessita mudar para um novo, embora todos os editores necessitem concordar com um esquema comum para seus DOIs. Como podemos notar, o sufixo do DOI pode ser construído da maneira que a instituição desejar.
O DOI é a certeza de que o artigo científico foi publicado eletronicamente em um periódico.  No Brasil, a plataforma lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), utiliza o DOI como uma forma de certificação digital das produções bibliográficas registradas pelos pesquisadores em seus currículos Lattes.
Para acessar o DOI, clique aqui.

O índice H foi desenvolvido pelo Professor J. Hirsch, da Universidade da Califórnia em San Diego, para qualificar o impacto e a quantificação do desempenho de pesquisa de um indivíduo. Pesquisas demonstram que o índice H tem relação com contagens de citações, fatores de impacto, contagens de publicações e avaliação de especialistas quanto ao impacto e à qualidade da pesquisa. Para acessar o Índice H via Scopus, clique aqui. Para acessar o Índice H via Web of Science, clique aqui. Para acessar o Índice H via Scielo, clique aqui.

Para acessar as Normas brasileiras sobre acessbilidade, clique aqui.

A Plataforma Lattes é a base de dados de currículos e instituições das áreas de Ciência e Tecnologia. Para acessar a Plataforma Lattes, clique aqui. Para acessar os arquivos de ajuda à Plataforma Lattes, clique aqui e para acessar o índice de ajuda, clique aqui.

Um rank que analisa aspectos da produção científica, internacionalização e visibilidade de periódicos científicos. Para acessar o SCimago, clique aqui.

Clique aqui para acessar o WebDewey.